O que é contracepção de emergência.

Contracepção de emergência é um método que pode ser usado pelas mulheres para evitar uma gravidez indesejada depois de uma relação sexual desprotegida, onde houve falha potencial de um método anticoncepcional (por exemplo, quando a camisinha se rompe durante a relação) ou em caso de estupro.

Quando usar a contracepção de emergência?

Após qualquer relação sexual desprotegida, incluindo:

- Quando nenhum contraceptivo foi usado;
- Ruptura da camisinha;
- Desalojamento do diafragma;
- Falha na tabelinha ou no coito interrompido;
- Esquecimento da tomada da pílula por dois ou mais dias em um ciclo;
- Em caso de estupro.

O que é a pílula do dia seguinte?

É um contraceptivo de emergência usado para prevenir uma gravidez indesejada, dentro de 72 horas após a relação sexual desprotegida.

- Não contém estrogênio
- Deve ser usado somente em caso de emergência
- É uma alternativa a uma gravidez indesejada

Como funciona o método de contracepção de emergência da pílula do dia seguinte?

Se você tomar o primeiro comprimido da pílula do dia seguinte até 72 horas após ocorrer uma relação sexual desprotegida, ele vai impedir ou retardar a liberação de um óvulo do ovário, impossibilitando a fecundação ou, ainda, impedirá a fixação do óvulo fecundado no interior do útero (a nidação), através da desestruturação do endométrio.

É importante deixar claro que a pílula do dia seguinte não tem efeito algum depois de iniciada uma gravidez.

Como usar o método de contracepção de emergência ?

Um original tem dois comprimidos. O primeiro comprimido deve ser tomado até 72 horas após a ocorrência de uma relação sexual desprotegida (mas nunca após esse prazo). O segundo deve ser tomado 12 horas após o primeiro. A eficácia da pílula do dia seguinte aumenta para 95% se a 1ª dose for ingerida nas primeiras 24 horas após a relação sexual desprotegida. Se ocorrer vômito até 2 horas após a ingestão do comprimido, a dose deve ser repetida.

Qual a eficácia da pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte previne uma possível gravidez não planejada na maioria dos casos, mas não é 100% eficaz. Quando usado corretamente após o coito único, a pílula do dia seguinte evita 95% da possível gravidez, quando se toma no primeiro dia; 85% no segundo e 58% no terceiro. Porém, se uma mulher com vida sexual regular usa a pílula do dia seguinte como único anticoncepcional, após cada relação, sua chance de engravidar será bem maior da que teria uma mulher usando anticoncepcionais orais regulares. Por esse motivo, a contracepção de emergência com pílula do dia seguinte não deve substituir os métodos anticoncepcionais de uso regular. É bom insistir no fato de que a eficácia da pílula do dia seguinte é maior quanto mais precocemente for tomada a primeira dose (95% nas primeiras 24 horas, 85% entre 25 e 48 horas e 58% entre 49 e 72 horas).

A contracepção de emergência feita com a pílula do dia seguinte é segura?

De modo geral a maioria das mulheres podem tomar a pílula do dia seguinte como método contraceptivo de emergência. 

A pílula do dia seguinte causa algum tipo de efeito colateral?

Apenas 5% das mulheres que tomaram a pílula do dia seguinte apresentaram vômito. A porcentagem de mulheres que apresentaram náuseas foi de somente 25%. Estes efeitos colaterais geralmente não duram mais do que 24 horas.

O que devo fazer após usar apílula do dia seguinte?

Você não sentirá nada que indique se a pílula do dia seguinte funcionou ou não. Se a menstruação atrasar mais de uma semana, ou se você estiver preocupada, consulte um médico de sua confiança. Durante o resto do ciclo deve-se abster de relações ou tê-las com camisinha.

O que acontece com a menstruação após usar pílula do dia seguinte?

A sua menstruação deve vir no período usual (ou um pouco antes ou depois). Geralmente, segundo as mais recentes pesquisas realizadas, o comportamento da menstruação em pacientes tratadas com a pílula do dia seguinte é o seguinte:

- 13% : a menstruação atrasará mais de 7 dias
- 15% : a menstruação atrasará de 3 a 7 dias
- 57% : a menstruação virá no prazo certo, ou até 3 dias antes ou depois
- 15% : a menstruação adiantará mais de 7 dias

 

Importante :

Se a pílula do dia seguinte não funcionar e eu ficar grávida, minha gravidez será normal?

Avaliações feitas mostraram que, caso a pílula do dia seguinte não seja efetiva e ocorra gravidez, nenhuma disfunção foi relatada com a gestante ou com o feto, durante ou após a gravidez. 

Posso usar o método de contracepção de emergência regularmente e em substituição aos métodos anticoncepcionais regulares?

A pílula do dia seguinte não deve ser usada rotineiramente para prevenir a gravidez. Os anticoncepcionais regulares (camisinha, pílulas anticoncepcionais, injetáveis, DIUs, esterilização, etc.) têm maior eficácia e menos efeitos colaterais.

 

Conheça os principais métodos disponíveis para se evitar uma gravidez :

Método masculino : Preservativo

Não deixa o pênis entrar em contato direto com a vagina, impedindo assim a gravidez. Tem eficácia entre 88% e 97%. Além disso é o método mais seguro para se proteger contra doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a AIDS.

Pode falhar¹ em 3% a 12%.

Método oral : Pílula

A pílula contém hormônios que evitam a gravidez, impedindo que as mulheres ovulem. Deve ser tomada diariamente.

Pode falhar¹ em 0,1% a 3%.

Método injetável : Injetável mensal / trimestral

Método bastante seguro, que impede que a mulher ovule, impossibilitando assim a gravidez. Aplicado a cada três meses, ou mensalmente. O injetável mensal não pode ser usado durante a amamentação por possuir uma combinação de dois hormônios. O injetável trimenstral, por possuir apenas progestogênio, pode ser usado por mulheres que estejam amamentando e não oferece risco de câncer do seio, nem do colo do útero.

Pode falhar¹ em 0,3%.

Método assistido : Dispositivo intra-uterino (DIU)

O DIU deve ser introduzido no útero da mulher por um médico ou enfermeira, ambos treinados.

Os DIUs usados atualmente no Brasil contêm cobre, o que aumenta sua eficácia.

Pode falhar¹ em 0,6% a 2%.

Método vaginal : Diafragma

Deve ser usado em conjunto com cremes e geléias espermaticidas. É introduzido na vagina pela própria mulher, impedindo a entrada de espermatozóides no útero.

Pode falhar¹ em 6% a 18%.

Método vaginal : Espermaticidas

São cremes ou geléias especiais que impedem a gravidez, matando os espermatozóides, impedindo assim que eles fertilizem o óvulo. Devem ser colocados na vagina momentos antes da penetração.

Pode falhar¹ em 6% a 21%.

Método comportamental : Tabelinha

Através de seu ciclo menstrual, a mulher pode saber quais os dias em que está no seu período fértil e os dias em que ela pode manter relações sexuais sem risco de engravidar.

A eficácia deste método geralmente não é muito alta.

Pode falhar¹ em 9%.

Método cirúrgico : Ligadura de trompas (na mulher)

Uma cirurgia é feita nas trompas, impedindo a fecundação. A eficácia desse método é muito alta, mas não chega a 100%. Mais ou menos uma em cada 300 mulheres engravida depois da ligadura.

Pode falhar¹ em 0,4%.

Método cirúrgico : Vasectomia (no homem).

É um método permanente, adotado somente nos casos em que o homem não quer ter mais filhos. Sua eficácia é alta.

Pode falhar¹ em 0,1% a 0,15%.

Novos métodos : Preservativo feminino.

O preservativo feminino evita a gravidez por impedir o esperma de entrar em contato com o óvulo. Também é um método bastante eficiente para se proteger contra doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a AIDS.

Pode falhar¹ em 5% a 21%.

 

Referência bibliográfica:

- Berek, J. S. et. Al.. Novak – Tratado de Ginecologia. Editora Guanabara Koogan S.A. 12ª edição, pág. 171, 1998.

- www.piluladodiaseguinte.com.br

- SAP- Serviço de Atendimento ao Profissional de Saúde – 0800-555571 – www.ache.com.br

Retorna...